3 de abril de 2008

arquivo ULTRA SECRETO 001

A fundação do Sovaco da Cobra deu-se no período de 1980 a 1990 (e alguma coisa, não lembro bem, porque estou muito véio) para lutar contra a opressão que impera acima das pessoas oprimidas (eu nem lembro bem como surguiu, então inventei essa redundancia ae), bom o grupo (eu e o Ale no início) passou por diversas formações até a que se encontra hoje (é nós conseguimos convencer outros a lutar ao nosso lado), com a experiência passada aprendemos muitas coisas (mintira, agente num aprendeu nada).
Nosso problema nessa década é o combate as forças do FBI (Federal Bureal Investigation) e mais recentemente as forças da PF (Polícia Federal Brasileira), alguns dos agentes de campo já foram reconhecidos, mas ainda mantemos nossa precauções, por exemplo, nossos arquivos mais secretos e confidenciais estão guardados em lugares seguros longe de pessoas que podem usá-los contra nós.
Recentemente foram descobertos dois poderosos agente, segundo consta dos dados que me foram passados, um é matemático e o outro similarmente é estatístico.
Apesar de confiar nos bons serviços de Ale (agente que confrontará diretamente ambos na NPC e NTI, e se assim Deus permitir nunca na NEF), estou confuso com o método utilizado pelo matemático pois busca a solução dos nossos crimes com lógica (que por acaso não é a matéria dele, graças a Deus). O outro agente (também chamado carinhosamente pelos seus companheiros de bigode, eu não entendi ainda o por que) já foi observado e o mais importante descobrimos seu ponto fraco (ele é tarado por cálculos matemáticos) ao encarar uma turba pela manhã ele confessou seu "tesão por calcular", e nós humildes mortais e frágeis pessoas usaremos isso contra ele enchendo sua mesa com milhares e milhares de cálculos e formulas impedindo que nossos casos sejam solucionados.
Componentes do grupo, o Sovaco espera que cada um cumpra o seu dever, sejam valentes, rápidos e não tenham misericórdia.

Eles não sabem ainda mas a "lógica" está do nosso lado...














Um comentário:

Alexandre disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.